9 de nov de 2007

Livro - Hitler Ganhou a Guerra



Quem visitar Buenos Aires vai dar de cara com centenas de cartazes nas estações de metrô e pontos de ônibus com o lançamento do livro "Hitler Gano la Guerra" do economista local Walter Graziano que também já tem versão em português. Se trata de um livro revisionista histórico. Segundo o site da tradicional editora Barnes&Noble, a capa com Hitler por trás da bandeira americana e o título “são apenas um marketing apelativo”, que está dando certo. É uma nova corrente revisionista, existente em vários países, que esgotada pelo tema do Holocausto e Protocolos dos Sábios de Sião, está criando uma nova retórica onde a dominação judaica mundial, prevista pelos falsos protocolos, é expandida para uma conspiração centenária norte-americana, onde os ricos, não-judeus e judeus, controlam todas as coisas, tendo criado e mantido, inclusive o nazismo, transformando a atual atitude do governo americano em atitude nazista "justificada pelo seu passado".



Outdoor do governo cubano defronte à embaixada americana no Natal de 2004

Essa retórica traz a culpa do Holocausto sobre os judeus e americanos, retirando-a dos alemães. Parte dela é originária da extrema esquerda que a cada manifestação, em qualquer lugar do mundo, vai colocando a propaganda ideológica de "Bush nazista", cobrindo as bandeiras americanas e israelenses com suástica, ampliando a mera oposição tradicional entre esquerdas e Estados Unidos, de uma forma que nem a União Soviética ousou fazer durante a Guerra Fria. Ao mesmo tempo que surgem cartazes em manifestações e suásticas cubanas, surgem os livros que "justificam" esse novo conceito em várias línguas. Na verdade, estes livros são os “Novos Protocolos”. A Editorial Sudamericana, que publica o livro, lançado em julho de 2004, descreve-o de seguinte maneira: "Quem pensa que muitos dos enormes problemas do mundo começarão a se solucionar se mudar o presidente dos Estados Unidos se engana gravemente. O presidente atual não é outra coisa senão a ponta do iceberg de uma complicada estrutura do poder, urdida cuidadosamente durante muito tempo por uma reduzida elite de clãs familiares muito ricos, verdadeiros proprietários, nas sombras, do petróleo, dos bancos, dos laboratórios, das fábricas de armas, das universidades e dos meios de comunicação mais importantes do mundo, entre outros setores". "Se trata nada menos de quem, antes da Segunda Guerra Mundial financiou Hitler para tomar o poder e se armar, provendo o Terceiro Reich de material bélico. Fomentaram o ideário racista do Fuhrer e criaram a máquina nazi na Alemanha".


Outdoor do governo cubano defronte à embaixada americana no Natal de 2004

"Também verá como são manipuladas as democracias do mundo, utilizando as principais universidades norte-americanas e seus intelectuais, gerando a ilusão do progresso científico através da falsidade ideológica e manipulação dos meios de comunicação para que as massas e as classes médias não percebam o que realmente ocorre. Sob esta ótica, até os atentados de 11 de setembro adquirem uma leitura diferente". Ainda segundo a crítica, "A História, contada dessa forma, se converte numa vasta e invencível conspiração... faz com que pareça estarmos vivendo num mondo criado por George Orwell e Stephen King de onde ninguém pode escapar".

http://midiajudaica.blogspot.com/2005/01/hitler-ganhou-guerra.html

Nenhum comentário: