26 de mar de 2008

Convênio entre INDG e governo do Estado começa a repercutir em outros veículos de comunicação

26/03/2008 - 17:22

Esta semana o site Consultor Jurídico, o programa Show da Manhã, da rádio Jovem Pan e, novamente, a Folha de S. Paulo abriram espaço para o assunto

O convênio entre o Governo do Estado e o INDG (Instituto de Desenvolvimento Gerencial) começa a repercutir na imprensa após a publicação de matéria na Folha de São Paulo (22 de março, página B7). Esta semana, o site Consultor Jurídico, vinculado ao jornal O Estado de São Paulo, a Rádio Jovem Pan e a própria Folha abriram espaço para o tema.

No site Consultor Jurídico, foi publicada a nota "Fiscais Insatisfeitos", baseada na notícia da Folha "Estado de São Paulo faz convênio contestado por fiscais".

Na última segunda-feira, dia 24 de março, a rádio Jovem Pan também abordou o assunto. O apresentador do programa Show da Manhã leu, ao vivo, um e-mail enviado pelo colega Ricardo Yuko Sazima que apontava sua preocupação com a atuação do Instituto na Secretaria da Fazenda. Uma das reclamações do ouvinte refere-se à interferência da empresa – que já prestou serviços aos governos mineiro e fluminense - no planejamento fiscal do Estado, o que é inconstitucional.

A Folha de S. Paulo, em 26 de março, abriu espaço novamente para discussão no Painel do Leitor. O AFR Gil Aparecido Nardelli também ponderou sobre a ilegalidade e inconstitucionalidade da prestação de serviços de uma empresa particular dentro da Sefaz: "é no mínimo incompatível que uma entidade como a INDG, patrocinada por grandes empresas, possa fixar diretrizes para a fiscalização tributária no Estado, tendo acesso a todos os tipos de informações que, de modo legal, são protegidas, posto que envolvem interesses econômicos significativos".

Clique aqui para ler a nota publicada no site Consultor Jurídico.

Clique aqui para ler a carta publicada no Painel do Leitor, do jornal Folha de São Paulo.

Clique aqui para ouvir o trecho do programa Show da Manhã, da rádio Jovem Pan, no qual o apresentador lê a carta que contesta a atuação do INDG.

Nenhum comentário: