18 de abr de 2008

NF@E - MENOS FISCO NO FUTURO DO FISCO

De atores principais passamos a coadjuvantes no nosso principal projeto dos últimos anos. Na nossa primeira PPP@I (Parceria Público Privada e Ingênua), apropriaram-se das nossas idéias, do nosso trabalho e da nossa competência, repassada a eles ingenuamente, num projeto que já dispunha de recursos públicos suficientes para o seu desenvolvimento e implantação, segundo os próprios gestores.
Capaz de passar a idéia de moderno, honesto, politicamente correto, justo e o bom para sociedade: o combate à sonegação via nota fiscal eletrônica tornou-se o prato perfeito dos marqueteiros. Assim que perceberam a oportunidade e a ansiedade dos nossos interlocutores, ofereceram recursos grátis e apropriaram-se ideologicamente do projeto da NFe.
As evidências estão nas páginas das revistas semanais de maior tiragem e circulação no País. As revistas VEJA - edição 2056, ano 41 - n° 15, de 16 de abril de 2008, à página n° 93 e a ÉPOCA - n° 517, de 14 de abril de 2008 - trazem a campanha de marketing abaixo em página inteira, mostrando quem é que faz as coisas acontecerem no Brasil, fazendo parecer que são os marcianos que sonegam, contrabandeiam, corrompem, promovem injustiças, adulteram, falsificam e concorrem com deslealdade, ou os fiscais e servidores públicos como dizia a propaganda anterior do mesmo autor.
A peça fala em ética e (des) lealdade, quando devia silenciar. Contudo ao optar por manifestar-se, deveria fazê-lo apresentando com igual ou maior relevo aqueles “que contribuíram para essa conquista“. Na verdade, o fisco de todo o País que por anos vem lutando para introduzir estes novos conceitos na Administração Tributária Nacional.
Deveria destacar especialmente os investimentos feitos pelos fiscos da União (Receita Federal do Brasil e Suframa), dos estados da Bahia, Goiás, Maranhão, Rio Grande do Sul, São Paulo, Santa Catarina, o trabalho duro do ENCAT - Encontro Nacional de Coordenadores e Administradores Tributários Estaduais, e o suporte em inteligência e tecnologia da Procergs, Prodesp e do Serpro. Todos idealizadores e/ou participantes efetivos do projeto da Nota Fiscal Eletrônica.
O apoio privado é sempre bem vindo, porém deve expressar-se através do pagamento em dia dos impostos devidos, do apoio institucional à Administração Tributária e a colaboração e discussão técnica nos fóruns adequados como já é praticado por muitos empresários e profissionais autônomos em todo o País, nas relações público-privadas.
SINTAF/RS

Nenhum comentário: